Valorizando vidas, preservando o planeta

Energia Limpa

Escrito em 01/01/1970 por Martha Nascimento Castro

Martha Castro

Por Martha Nascimento Castro 

Engª Agrônoma e Diretora de Pesquisa & Desenvolvimento do Brasil Mata Viva

 

A oferta interna de energia no Brasil, no ano de 2007, atingiu 238,8 milhões de toneladas equivalentes de petróleo (TEP), sendo que, deste total, 109,7 milhões, ou 45,9%, corresponderam à energia renovável, o que faz da matriz energética brasileira uma das mais limpas do mundo, quando considerada a relação do volume de emissões de gases de efeito estufa pelo total de energia ofertada. Fato esse comprovado pela participação das fontes renováveis na oferta interna de energia brasileira que está bem acima da média mundial avaliada em 12,9%, e mais ainda da média dos países membros da OCDE, de 6,7% (PDEE, 2009).

Por todas essas características o Brasil é reconhecido por possuir uma matriz de geração elétrica, predominantemente de origem renovável, sendo que a geração hidráulica responde por um montante superior a 76% da oferta energética total no país, de acordo com o Balanço Energético Nacional 2010.

As obras de hidrelétricas, de uma forma geral, produzem grandes impactos sobre o meio ambiente, sobre aspectos físicos, biogeoquímicos e sociais nos âmbitos local e regional onde é instalada a unidade. Contemporâneo a isso, busca-se hoje a sustentabilidade e conservação dos sistemas que operam o desenvolvimento econômico como um todo, por isso faz-se necessária a incorporação de maior número de procedimentos para geração de energias limpas, renováveis e de menor impacto ambiental para compor a matriz energética brasileira.

Neste contexto, ressalta-se a importância de programas com iniciativas conservacionistas que ao mesmo tempo priorizam e permitem a geração de renda e qualidade de vida. O Padrão Brasil Mata Viva concebe projetos voltados à geração energética focados, dentre outros escopos, em explorar o potencial eólico das regiões para geração de energia e usá-la como força motriz para moradias e indústrias.

O emprego consciente da tecnologia em favor da conservação ambiental é uma ferramenta de estimável valor para a sustentabilidade das atividades que movem a economia, e garantirão às gerações futuras a qualidade de vida que é almejada desde sempre.